ATAULPHO JR. (Rio de Janeiro, 5 de agosto de 1943)

            Caçula de cinco filhos do genial compositor Ataulfo Alves, criado no bairro do Méier, o jovem Ataulpho Alves de Souza Júnior já em 1958, passou a ajudar o pai na União Brasileira dos Compositores (UBC), em sua luta pela defesa dos direitos autorais. Ao perceber talento e a boa voz do filho, no início dos anos 60, os dois passaram a trabalhar juntos em diversos shows pelo Brasil. Em 1963, levado pelo pai, Ataulpho Jr. se apresentou no programa Bossaudade, de Elizeth Cardoso, no Teatro da TV Record. Com o falecimento do patriarca, em 1969, seguiu com determinação sua carreira gravando em seguida, convidado pelo compositor Fernando Lobo (que sugeriu o título), o LP de estreia O Herdeiro Sou Eu (Polydor), demonstrando personalidade em seu estilo de interpretação, incluiu do repertório alheio Sim Ou Não (Cícero Nunes), Chega de Brigas (Jaime Florence, Augusto Mesquita) ou sucessos do mestre Ataulfo, como Laranja Madura, Leva Meu Samba.

Em 1973, após lançar pela RCA Victor um compacto simples, gravou o álbum Ataulfo Alves Júnior, com destaques, entre outras: Fim de Carnaval (Leci Brandão), Meus Tempos de Criança (Ataulfo Alves), Infidelidade (Ataulfo Alves, Américo Seixas), Felicidade Em Mangueira (coautoria Adelino Alves). Marcou novos sucessos com o LP Ataulpho Jr: Emoções Fortes (WEA, 1979), ao interpretar Vovó Tem Razão (Dida, Dedé da Portela), Olha Essa Maré (Wilson Moreira, Nei Lopes), Velha Guarda da Portela (Rildo Hora, Sérgio Cabral), Caramba (Gracia do Salgueiro). Em 1984, foi registrado ao vivo, no Teatro SESC- Pompéia/SP, o show Leva Meu Samba: clássicos de Ataulfo Alves (CD Eldorado), com Ataulfo Jr. & Elizeth Cardoso interpretando Ó Seu Oscar (parceria de Wilson Batista), Errei Sim e Saudade Dela (solos de Elizeth), Lírios do Campo (com Peterpan) e Vai Mas Vai Mesmo (solos de Ataulfo Jr.), entre outras atrações.

Nos anos 90, excursionou pela Europa (Portugal e Espanha) e apresentou o CD Exclusivo do Povo (RGE, 1995), composições de sua autoria e do repertório alheio: Meu Guia e Feitiço (parcerias com Mário Lago Filho), Dois Corações (de Gilson e Carlos Colla), Cadê A Festa (com Délcio Carvalho), Me Espelho No Melhor (com Toninho Branco) e a faixa que dá nome ao disco (com Hélio Matheus). Na celebração do centenário de Ataulfo Alves, incentivou e participou (indicando artistas e músicos importantes, disponibilizando o acervo fotográfico pessoal) do abrangente projeto editado em álbum duplo pelo selo Lua Music (2009), além de gravar o choro Solitário e o irmão mais velho Adeílton Alves, o samba Nunca Mais.Em 2014, ao homenagear o saudoso mestre e pai, lançou o CD Mais Amor Para Você (selo Choro Music), acompanhado do Regional Imperial, com dez belas composições de Ataulfo Alves, destacando-se a faixa título, Boêmio (parceria com J. Pereira), Não Sei Dar Adeus (com Wilson Batista), Talento Não Tem Idade. Voz afinada no ritmo certo, repertório diversificado, memória viva do pai com quem aprendeu tudo e não se cansa de dizer com muito orgulho, é para se ouvir sempre Ataulpho Júnior!


© Copyright 2008 - Pelo Telefone: Uma viagem através da música popular brasileira.

Desenvolvimento e Design: Marcio Cunha