IVAN MILANEZ (Rio de Janeiro, 25 de fevereiro de 1946)

            Nasceu no hospital Pro Matre, na Gamboa, e foi criado no morro da Serrinha, pela mãe Maria da Conceição Milanez “Dona Pretinha”(costureira de alas) e o tio Joaquim José Simplício “Mestre Dinho” (um dos primeiros diretores de bateria), figuras antológicas da sua escola querida: Império Serrano. Ainda criança, brincava no “bloco de lata” com a turma do bairro, passando depois a participar de uma roda, onde aprendeu as malícias do samba e do partido-alto com Mano Décio, Yvone Lara e Mestre Fuleiro. Começou a desfilar por volta dos 18 anos, depois pela ala da bateria (A Sinfônica do Samba) e dos compositores.

Em 1984, ao participar de tradicional festival de música popular, em Ibiza, na Espanha, conheceu o compositor, cantor e violonista Rogério Bicudo (brasileiro radicado em Amsterdam), na oportunidade realizou com este algumas apresentações. Ivan Milanez foi um dos responsáveis pelo ressurgimento do samba na Lapa nos anos 90, e padrinho dos grupos Galocantô e Samba da Amendoeira, ambos já definitivos na história da nossa música popular. A partir de 2000, a Velha Guarda da Escola Império Serrano, foi resgatada através de apresentações e shows, liderados por Zé Luiz e Wilson das Neves, com a participação de Ivan Milanez, Aloísio Machado, entre outros.

Em 2006, foi lançado o admirável CD Império Serrano: um show de Velha Guarda (selo Biscoito Fino), com interpretação de Ivan Milanez em Não Me Perguntes (Mestre Fuleiro, Yvone Lara), além de participações em outras obras-primas, como O Poeta e A Natureza (Osório Lima, Mano Décio), Bálsamo da Paz (Osório Lima), Serra dos Meus Sonhos (Carlinhos Bem-te-vi), Obsessão (Osório Lima, Mano Décio), Triste Destino (Adilson Negão), ao lado de Toninho Fuleiro, Zé Luiz, Fabrício, entre outros. Convidado especial pelo grupo paulistano Inimigos do Batente, em 2008, Milanez mostrou toda a sua arte em badalada roda de samba realizada no Clube Anhanguera, no bairro Bom Retiro, região central da cidade.

Em 2009, o sambista vinha desenvolvendo o seu projeto Quintal do Milanez, apresentado quinzenalmente em simpática quadra esportiva de Oswaldo Cruz, com a participação de jovens e talentosos instrumentistas, comandados por ele (ótimo cantor), além de participações especiais. Nessa ocasião, a Confraria de Cachaça do Copo Furado/RJ, que também celebra o samba (foto), esteve presente em grande número, sambando e cantando noite adentro. Com o já citado Rogério Bicudo, Milanez fez uma série de admiráveis shows durante a temporada brasileira do parceiro entre 2009 e 2010. No ano seguinte, participou como ritmista do evento Carnaval do Rio de Janeiro em San Luis (província localizada no centro-oeste da Argentina), sendo já considerado um dos grandes carnavais promovidos fora do Brasil.

Finalmente, em 2012, lançou seu primeiro CD solo Ivan Milanez: Maneiro (produção independente), com participações especiais de Zeca Pagodinho em Lavradio 106 (de Rogério Bicudo, Ricardo Fialho), Moyseis Marques em Lapa Em 3 Tempos (de Ary do Cavaco, Rubens de Souza), Ana Costa em A Lapa (de Herivelto Martins, Benedito Lacerda) entre outros bambas, e incluiu ainda seis de suas ótimas composições: Lado Oposto (com Wanderley Monteiro), Primavera (com Joel Luiz, Mauro do Cavaco), Embala No Mar (com Dinoel Sampaio), Negro Congo Tia Guelé (com Bandeira Brasil), Boiadeiro Novisala (com Edimar Guiã), Maneiro (com Cisinho, MC Colibri). Como compositor teve também gravados os sambas Sinhá Maria (com Jairo) por Silas de Andrade (1986), Sinhá de Minas (com Adilson Bispo) por Pedrinho da Flor (1987), Canto Divinal (com Dinoel Sampaio) por Luis Sacopã (1989), Sabores da Bahia (com Naldo da Bahia e Maurício Titman) pelo Canto da Boca (1996), Vem Cá (com Marquinhos de Oswaldo Cruz e Edmar) pelo Grupo Raça (1996), Maria Lavadeira (com Bandeira Brasil) pela cantora Célia Silva (2011), Ouro e Tesouro (com Xande de Pilares e Marquinhos de Oswaldo Cruz) pelo último citado (2014), Cubanita (com Antonio Amaral), por Gallotti e Milanez (2015).

De privilegiado vozeirão, ritmado pelas batidas do seu coração que sabe tudo de samba, é preciso se falar e ouvir mais o multitalentoso Ivan Milanez.


© Copyright 2008 - Pelo Telefone: Uma viagem através da música popular brasileira.

Desenvolvimento e Design: Marcio Cunha