FRED CAMACHO (Rio de Janeiro, 9 de setembro de 1977)

            Criado na Tijuca, Frederico Fagundes Fernandes Camacho, seguindo a profissão da mãe, formou-se em Advocacia. Mas, o seu “negócio” era mesmo o samba. Aos 13 anos de idade, já subia o morro do Salgueiro para tocar tamborim, vindo a conhecer os irmãos Almir Guineto (seu futuro parceiro) e Louro, inesquecível mestre de bateria da escola, na época lá sediada. Com seu talento, em 1993, Fred passou a tocar cavaquinho no carro de som, e depois a desfilar na ala da bateria da Acadêmicos do Salgueiro.

Em 2003, teve suas primeiras composições gravadas Meu Partido (coautoria de André Rocha e Márcio Vanderlei) pelo grupo Fundo de Quintal, Presente de Deus (com Alceu Maia) pelo grupo Roda de Saia e Beth Carvalho, Te Vejo Passar (com Almir Guineto e Márcio Vanderlei) por Dorina e Vem Sambar (pareceria de Agrião) pelo grupo Roda de Saia. No ano seguinte, ao integrar o excelente conjunto Toque de Prima (Ari Bispo, Carlinhos 7 Cordas, Dininho, Marcelinho Moreira, Wanderson Martins e o saudoso Ovídio Brito), cantou, tocou banjo e cavaquinho, na gravação do CD Daqui, Dali E de Lá (Fina Flor, Rob Digital), em  sambas notáveis como Cabô Meu Pai (Moacyr Luz, Aldir Blanc, Luiz Carlos da Vila), a faixa título (Serginho Meriti, Bira da Vila) e Pra Parar de Chover (Sombrinha, Franco).

Finalmente, em 2011, despontou o primeiro disco solo Fred Camacho (selo Bolacha), onde brilha em repertório irretocável sambas autorais, como: Em Busca da Sorte (Não deixei de acreditar/ em traçar o meu destino/ o samba foi me levar/ por aí desde menino...), Quando O Mal Virar Mel (Quando a gente conversar/ e tentar se entender/ o amor vai encontrar/ um lugar pra renascer...), Nosso Enredo (coautoria de Cassiano Andrade), Pro Nosso Mundo Se Alegrar (com Arlindo Cruz) em participação especial, Salto (com Acir Marques e Dudu Nobre) participação de Dudu Nobre, O Que O Amor Me Faz (com Rogê e Marcelinho Moreira), Quem Eu Sou (com Cassiano Andrade), além de Lente de Contato (de Zeca Pagodinho, Wanderson Martins e Jorge Simas) participação de Zeca Pagodinho, entre outros. Trabalho primoroso, dedicado a Lourival de Sousa Serra, o já citado mestre Louro (que “sempre o incentivou e lhe deu um caminho para trilhar no samba”), e agradecimento especial ao Almir Guineto (“com quem aprendeu tudo e sua maior inspiração”).

Como compositor, Fred Camacho teve sua obra interpretada também por Alcione, Galocantô, Léo Russo, Maria Rita, Marquinhos Sathan, Mart’nália, Zeca Pagodinho, Zélia Duncan e muitos outros. Salve Fred Camacho! Um grande ser humano, poeta lírico do samba, que carrega feliz no coração!


© Copyright 2008 - Pelo Telefone: Uma viagem através da música popular brasileira.

Desenvolvimento e Design: Marcio Cunha