CLARA MORENO (Rio de Janeiro, 13 de março de 1971)

            Tal como a cantora Ana Martins, é filha dos já citados Joyce Moreno e Nelson Ângelo. Criada em ambiente estritamente musical, Clara mudou-se aos 18 anos de idade para a França, onde estudou na Escola de Música Popular CIM de Paris. Em 1991, teve participação especial em show de Joyce no Théatre de La Ville ocasionando apresentações regulares no antigo Lionel Hampton Jazz Club. Em 1994, ao retornar ao Brasil, tomou parte do álbum Joyce: entre amigos (EMI-Odeon), que comemorava 25 anos de carreira e relembrava sucessos autorais como a já citada Clareana (presença do grupo Boca Livre) e Minha Gata Rita Lee (dueto com Clara Moreno).

Em 1996, lançou seu primeiro CD Clara Moreno (Independente, 1996), onde aparecem Partido Alto (Chico Buarque), O Sol Nascerá (Cartola, Elton Medeiros), Detalhes (Roberto Carlos, Erasmo Carlos), Fulano E Beltrano (Joyce Moreno), e outras. No ano seguinte, se apresentou com sucesso em Tóquio, com show de bossa nova, o que valeu sua estreia no mercado fonográfico japonês com o CD Mutante (Avex Trax, 1998), quando interpretou algumas músicas americanas, e do repertório nacional: Zazueira (Jorge Benjor), Banana (Joyce Moreno), Mutante (Rita Lee, Roberto de Carvalho) e Aquele Abraço (Gilberto Gil, em versão Hello Rio).

Em 2002, participou ao lado da irmã Ana Martins do CD Nelson Ângelo: mar de mineiro (Lua Discos), quando interpretaram em terceto com o pai, suas canções Terra À Vista e Quando Eu Vi O Mar (parcerias com Cacaso). Ao morar em São Paulo, gravou pelo selo YB Music, em 2004, o álbum Morena Bossa Nova, interpretando composições do baixista Rodolfo Stroeter (Feiticeira), além de Outras Praias (Celso Fonseca), Solidão (Tom Jobim, Alcides Fernandes), Dans Mon Île (Henri Salvador) e a faixa título (Joyce Moreno). Com novas concepções para seu trabalho, Clara Moreno lançou em 2008 o surpreendente e primoroso CD Meu Samba Torto (selo Atração Fonográfica), voltado para um ritmo quase intimista, tratado com carinho e suavidade, em faixas como Sabe Quem? (Zé Renato, Joyce), Sei Lá (Nelson Ângelo), Bahia Com H (Denis Brean), Morena Boca de Ouro (Ary Barroso), Vem Morena Vem (Jorge Ben) e presença dos músicos Tutty Moreno (bateria), Diogo Figueiredo, Celso Fonseca (guitarras), entre outros. Em continuidade à sua pesquisa do samba, a cantora retrocede aos anos 60, em tempos de sambalanço com bossa nova, brilhando com o álbum Miss Balanço (selo Biscoito Fino, 2010), em destaque: Deixa A Nega Gingar (Luiz Cláudio), Mais Valia Não Chorar (Normando Santos, Ronaldo Bôscoli), Balanço Zona Sul (Tito Madi), Samba de Negro (Roberto Corrêa, Sylvio Son), Brincando de Samba (Orlandivo, Celso Murilo). Em 2015, apresentou Samba Esquema Novo de Novo (selo Biscoito Fino) uma nova leitura completa para o histórico disco Samba Esquema Novo, de 1963, que revelou Jorge Ben, com várias pérolas como Chove Chuva, Quero Esquecer Você, Por Causa de Você Menina. “Nota dez” para Clara Moreno, talento de voz afinada, charme e simpatia, a serviço do samba!


© Copyright 2008 - Pelo Telefone: Uma viagem através da música popular brasileira.

Desenvolvimento e Design: Marcio Cunha