ANASTÁCIA (Recife/PE, 30 de maio de 1941)

            Criada no bairro de Macaxeira, ainda criança Lucinete Ferreira já sonhava em ser cantora. Vestia as roupas da irmã mais velha, utilizava um cabo de vassoura como microfone, se anunciava e cantava para uma plateia formada por suas amiguinhas. Também se apresentava para as lavadeiras à beira do açude local. Em meados dos anos 50, foi contratada pela Rádio Jornal do Comércio, como cantora e comediante, início efetivo de sua carreira artística.

Em 1960, transferiu-se para São Paulo, onde conheceu a dupla Venâncio e Corumba, de prestígio na época, e que empresariavam artistas oriundos da região nordeste. Com esse relacionamento, batizada com o nome artístico de Anastácia, gravou o raro compacto duplo (selo Chantecler, 1960), com as músicas Noivado Longo (Max Nunes) e Chuleado, A Dica do Deca, Forrófiá (essas de Venâncio e Corumba). Ainda nos anos 60, lançou quatro LPs pelo selo Continental, com sucesso notadamente no Nordeste: Anastácia No Torrado (1965), no repertório: Não Faça Isso (Venâncio), Uai Uai (Venâncio, Corumba); Retirada: O Torrado de Anastácia nº 2 (1966), entre as faixas: O Sucesso do Pião (Severino Ramos, Alexander Melb), Puxa O Fole Sanfoneiro (autoral); Canta Para O Nordeste (1967), inclui: No Buraco de Otília (Pechincha, Venâncio), Vizinha Impertinente (Olegário Mazzer); Anastácia (1968), apresenta: Flor de Macaçá (coautoria de Rosil Cavalcanti), Saudade de Nordestino (coautoria de J. B. de Azevedo). Ao conhecer o compositor e sanfoneiro Dominguinhos em programa de televisão do mestre Luiz Gonzaga, tornaram-se companheiros, participaram de uma caravana artística promovida pelo Rei do Baião, e parceiros em torno de 200 músicas.

Em 1971, lançou o LP Anastácia: Torrão de Ouro, com destaque para as assinaturas com Dominguinhos: Lamento de Saudade, Torrão de Ouro, Quem Guarda Com Fome O Gato Come, Coração Todinho, Relembrando O Ceará. O maior sucesso da dupla surgiu em 1973, quando Gilberto Gil gravou Eu Só Quero Um Xodó (selo Philips), que alavancou inúmeros outros intérpretes, até os dias atuais. Em 1977, no álbum Anastácia (Arlequim) assinou, entre outras: É Só Pena Que Voa, Ciranda À Beira Mar, Vício Gostoso. No ano seguinte, foi editado o LP Anastácia: Você É Meu Xamêgo (selo Pierrot/Arlequim) de novas parcerias com Dominguinhos, como: Forró do Zé Perrita, Forró do Zé Lagoa, Tenho Sede, Delícias do Ceará, entre outras pérolas.

A década de 80, iniciou com sua participação no Projeto Pixinguinha, ao lado de Jackson do Pandeiro e da conterrânea Cátia de França, estreado no Teatro Dulcina/RJ, com direito a apresentações em diversas outras cidades das regiões sudeste e sul do país.Também continuou pródiga a discografia da incansável cantora: Anastácia (Arlequim, 1980), no qual além do baião Homenagem a Luiz Gonzaga,inclui a embolada O Aumento do Leite (Venâncio, Geraldo Nunes), e o xaxado Cavaleiro de Marrom (autoral); A Fulô do Forró (Sertanejo/Chantecler, 1981), canta: Vamos Dançar o Xote (coautoria de Oscar Barbosa), A Fulô do Forró, Moreno dos Meus Sonhos (autorais), Forró dos Coroas (com Zé Lagoa); Cheinho de Amor (Sertanejo/Chantecler, 1982), exibe: Canteiro da Saudade (autoral), Coração Solitário “Cheinho de Amor” (Taioca da Zabumba), Mulher Com M Grande (parceria com Liane), Eu Só Quero Um Xodó (coautoria deDominguinhos); 30 Anos de Forró (Musicolor/Continental, 1985), para festejar o acontecimento, apresentou: Sanfoneiro de Pé de Serra (coautoria deDominguinhos), Vozes da Seca (Luiz Gonzaga, Zé Dantas) participação de Belchior, Amor Na Rede (coautoria de Geraldo Nunes), Sorte Tirana (coautoria de Ciriaco); Quero Você Pra Mim (Chantecler, 1987), totalmente autoral , vale citar: Eu Moro Longe (com Geraldo Luiz), Nosso Amor Queimou-se Na Fogueira e a faixa que empresta o nome ao disco; Tem Que Mexer Pra Adoçar (CID, 1988), interpreta: Pra Machucar (coautoria de Liane), Passa Lá Em Casa (parceria de Renato Moreno), Tem Que Mexer Pra Adoçar (coautoria de Zezum), Fricoteiro do Amor (coautoria de Domingos Nogueira). Em 1992, com arranjos e regência de Oswaldinho do Acordeom, outro bom momento da cantora despontou com o álbum Saudade Matadeira (Discos Kid), em destaque: Pra Onde Tu Vais (coautoria de Edmilson Silva), Cada Vez Te Quero Mais, Mande Um Bilhete (autorais), e a faixa que dá nome ao disco(coautoria de Dominguinhos). No ano seguinte, gravou Anastácia: faz parte do amor (selo RGE), com novas parcerias: Edmilson Silva (Teu Destino Tá Traçado, O Nosso Amor Acabou, Faz Parte do Amor), além de Sanfona Sentida (com Dominguinhos).

Em 1995, o álbum Coração de Mulher (selo Crescent/Velas) destaque de canções românticas: Não Te Quero Mais, Amor Na Tarde, Esta Noite Eu Quero Você (coautoria de Oscar Barbosa). O alvorecer do novo século marcou o reencontro em estúdio com Dominguinhos, após quase vinte anos de ausência, com o CD Anastácia: Xodó do Brasil (CPC-UMES, 2000): releitura antológica da dupla para Eu Só Quero Um Xodó/ Tenho Sede, a cantora nos brinda com as autorais Um Travesseiro Só, Quero Te Dar Amor, além de um pot-pourri de xotes Lamento de Saudades, Desilusão, De Amor Eu Morrerei (esses de Anastácia, Dominguinhos). No ano seguinte gravou o CD Anastácia: Seresta (Independente), repeteco em ritmo mais cadenciado para algumas músicas e outras novidades como Carta Queimada e Amor de Minha Vida (autorais).

Em 2006, novo CD Anastácia (selo Arlequim) festejou inspiradas composições inéditas e autorais: Será Que É Amor, Gosto de Amor, Meu Jeito Simples, Meu Amor Tenha Dó, Não Dou Meu Perdão, Vendaval de Paixão, O Sono Não Vem (essas com Liane), O Forró É Bom Demais (parceria com Domingos Nogueira), Arrasta-Pé da Alegria (com Oscar Barbosa), entre outras. Ao comemorar 60 anos de vitoriosa carreira artística, a Rainha do Forró presenteia seus súditos em outro exemplar CD Ave de Arribação (selo Genesis/Arlequim), vale destacar algumas joias: Não Quer Saber de Mim, Amor Na Fogueira, Alma de Poeta (coautorias de Liane), Ave de Arribação, Se Meus Olhos Falassem (essas com Dominguinhos), Forró do Piauí (com Nivaldo do Acordeom e Liane) participação do cantor Luiz Wilson.

Anastácia, de sorriso franco e espontâneo, com seu canto alegre e melodioso, vibrante e malicioso, consagrada autora e intérprete, fiel às suas raízes nordestinas, espalhou país afora todo o encantamento sertanejo.


© Copyright 2008 - Pelo Telefone: Uma viagem através da música popular brasileira.

Desenvolvimento e Design: Marcio Cunha